segunda-feira, 31 de março de 2008

Shout

Eu grito porque o silêncio me incomoda.
Eu grito pra acordar a vizinhança. Eu grito pra fazer a velha gorda que caminha na calçada olhar pra cima. Eu grito pra deixar a meninada com medo de sair na rua, eu grito pra deixar o velho guarda com pânico do obscuro, eu grito pra deixar o carinha que amassa na esquina a namorada, de cabelo espichadinho, com o pau endurecido.
Eu grito porque não tenho voz. Eu grito porque eu calo para quem merecia uma porrada. Eu grito pela morte do meu gato, eu grito pela sorte do vagabundo que achou no lixo uma coxinha pela metade, eu grito pelo medo que o porrete causa na pele fria do mercedes prateado, eu grito pra abafar o barulho do avião, eu grito pra jogar qualquer muro em algum chão, eu grito pra enganar a desconfiança, eu grito pra apressar qualquer mudança.
Eu grito porque eu grito. Eu grito porque não aprendi a não gritar. Eu grito de tesão. Eu grito de alegria. Eu grito de pavor. Eu grito de horror. Eu grito por amor. Eu grito de saudade. Eu grito de felicidade. Eu grito com a boca cheia de lágrimas. Eu grito com a boca seca de vontade. Eu grito com a mão espalmada pra ampliar o grito. Eu grito com a camisa aberta no peito pra enfurecer o grito. Eu grito com o olho esbugalhado pra causar atrito. Eu grito porque, se eu não grito, eu não existo. Eu grito porque gosto. Eu grito porque quero. Eu grito porque sonho. Eu grito porque desisto. Eu grito porque insisto. Eu grito porque ninguém me ouve. Eu grito porque ninguém me vê. Eu grito porque quero continuar no escuro. Eu grito de vergonha. Eu grito por exibicionismo. Eu grito por hipocrisia. E eu grito por detestar a hipocrisia. Eu grito por idolatria. Eu grito por necessidade. Eu grito por inconsequência. Eu grito de orgulho. Eu grito por arrogância. Eu grito só de implicância. Eu grito porque gritando eu não vomito.
Eu grito porque o silêncio me machuca. Porque a noite me aprisiona. Porque o sol me dói a vista. Porque a sorte me abandona. Porque a morte me ronda o quarto. Porque a vida não se mede com uma régua. Porque não encontro a porta aberta. Porque não suporto nenhuma perda. Porque não acredito na vida eterna. Porque quero me aconchegar no peito dela. Porque quero amarrar poesia nas estrelas. Porque quero avacalhar as letras do alfabeto. Porque quero enterrar as mentes obtusas. Porque quero destruir as meias-verdades. Porque quero esburacar o sonho alheio. Porque quero estraçalhar quem me machuca.
Eu grito, porque eu grito. Eu grito porque o silêncio me incomoda. Eu grito pra fazer barulho. Eu grito.
Me beija. Que eu calo.

13 comentários:

Pedro Jansen disse...

a ciranda roda, gira e a coisa acontece.

maravilha de escrito!

claudio_luz disse...

a arte é um grito!
texto fudido!

Phylippe disse...

Bela gritaria!
texto fudido [2]

Solis disse...

Bela gritaria!
texto fudido [3]

estou me sentindo até mais leve depois de tanto gritar...

Náira disse...

...tantos motivos por gritaaar..tdo p calar o silêncio.tb prefiro assim!bela composition;)

Alícia Melo disse...

eu calo por não ter um beijo pra gritar.
4 =*'s

Rosa disse...

Eu também grito: vai escrever bem assim lá na PQP!!! (com todo respeito...rsrs) Já te disse que o que mais gosto nos textos é o "grand finale"? fechou o seu com chave de ouro - só pra variar. Bjo!

www.odamae.zip.net

Daniele Soares disse...

Nãotem nem o que falar,basta gritar como você mesmo diz para expressar o que seu texto quis dizer!
Excelente como sempre!

Biani Luna disse...

A melhor forma de calar.

Edson Costa disse...

calo e bato palmas.
grande andré.

idalena disse...

Ei, André, VTNC.
Amo-te.

Meu coração amigo grita de saudade.
Parabéns pelo texto.

cavaliersansmerci disse...

Quem vive e grita?Como gritar?
Citação:Leve um homem e um boi ao matadouro, aquele que gritar mais alto na hora do perigo é o homem, mesmo que seja o boi.

Alexandre disse...

maravilhoso muito bom....